Pular para o conteúdo

Veja aqui o dono de uma Perua transformada em Camaro, que deseja abenção da GM.

Publicidade

“Quem nunca quis um Camaro?” Perguntou um fabricante de móveis de Recife (PE), que não conseguia realizar seu sonho financeiramente. Ele realmente não tem dinheiro, mas Paulo Cunha da Silva, de 47 anos, colocou sua criatividade em prática e projetou e produziu seu próprio “Camaro Feito à Mão”.

O veículo usa uma carenagem de madeira que simula um carro esporte Chevrolet e faz sucesso por onde passa.

Publicidade

Cunha disse que a vontade de comprar o Camaro amarelo e desfilar nas ruas do Recife tem uma longa história. Valores que estavam longe de sua capacidade financeira foram impostos ao fabricante de gabinetes, que precisava se destacar. Ele decidiu usar seus 30 anos de experiência na fabricação de móveis personalizados para trazer sonhos para o reino das ideias possíveis.

Quando se deu inicio este projeto

A transformação de seu Chevrolet Ipanema 1992 começou há cinco meses e conquistou o apoio de sua família. “Comecei a pintar o nome na lateral. As pessoas gostaram e comecei a fazer carenagens de madeira. No início, minha família dizia que eu era louco, mas agora todos na família gostam de andar de bicicleta”, continuou. O desafio atual é concluir a transformação do Camaro feito à mão.

“Até o final deste ano, espero torná-lo completo e conversível.” O carro é famoso e tem até página nas redes sociais. Não importa aonde ele vá, as pessoas vão pedir para parar para tirar fotos e ouvir o relato de Paul sobre como é o processo de produção.

A Tapioqueira Cláudia Maria é uma das admiradoras deste carro. “Quando o vi passar. Foi muito curioso. Fico feliz que ele quisesse e adotou a atitude de fazer isso. Acho que temos que fazer isso: decidir. Espero não multá-lo”, disse ele.

E ele pode levar multa?

Paulo disse que seu Ipanema já foi totalmente formalizado e nunca foi autuado por usar a carenagem. No entanto, um consultor acredita que a “van Camaro” não está em conformidade com as leis de trânsito.

“Todo veículo feito à mão deve ter um projeto técnico, assinado por um engenheiro tecnicamente responsável, e ter recebido treinamento ou qualificação na área de mecânica, mas não é o caso”, afirma Marco, sócio do Cetran-SP (São Paulo Comissão Estadual de Transportes).

Fabrício Vieira analisa a situação, ele escreveu o livro “Gestão Municipal de Trânsito, Aspectos Legais e Administrativos”.  Vieira acrescentou que, em sua opinião, o Camaro recifense feito à mão não é cópia legal.

“Uma réplica é um veículo produzido por um fabricante de pequeno volume, semelhante a outro veículo que foi descontinuado por pelo menos 30 anos e tem a permissão do fabricante original, seu sucessor ou cessionário, ou o atual proprietário de tais direitos, ” Ele apontou.

Os advogados definem a atratividade do Recife como um veículo automotor com “elementos externos de madeira, como uma carenagem, cuja única função é revestir o veículo de Chevrolet Camaro amarelo”. Os especialistas concluíram que o projeto do carpinteiro Paulo Cunha pode sofrer infrações graves, multas e cobrança de veículos, além da possibilidade de violação das leis de patentes ao copiar desenhos industriais sem autorização da marca.

“Embora seja uma carenagem, ela mudará significativamente suas características de fábrica (cor, sistema de iluminação, suspensão, pneus, rodas, etc.), o que causará muitos danos à segurança.”

Publicidade
Boris Camanzi

Boris Camanzi

Especialista em crédito e um amante automotivo. Antes de mais nada, apaixonado por tecnologia e automóveis! Mineiro e bacharelado em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) e MBA em Gestão de Negócios, com mais de 12 anos de trabalho dedicados a área automobilística, sempre fui norteado pela busca da seriedade e credibilidade da informação, tanto no segmento de veículos novos (0KM), seminovos e usados.

Você também pode gostar ↓↓↓